MARIANGELA BARRETO-
POESIAS E DELIRIOS
CapaCapa TextosTextos E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos


Meu coração bate, aperta, apanha
sinto na garganta um nó 
querendo romper.. uma dor no peito
um grito dilacerado..
um furacão na cabeça,
esta ansiedade, este medo, esta insegurança
me sinto tal qual criança  assustada 
com medo de abrir os olhos e ver
ver negado o sonho, o sol, o enredo
tanto tempo, tantos anos sofrendo apanhando
sendo violentada na inocencia no sonho, na fé,
e agora tão perto, tão perto me sinto tão só.

Vendo a beleza aviltada, pedofilos, abortistas, artistas
os monstros das trevas se masturbam felizes
e eu choro, eu tremo, impotente,  tão só.
Olho para o lado vejo zumbis doutrinados
jovens sujas  enfiando no ânus
cruxifixos sagrados a cruz de Jesus.

Meu Deus não é este o pais que habito
não é este o mundo que quero viver
umbral tenebroso, imperio das trevas
o mundo maldido da escuridão do pt. 
Tenha piedade Senhor das crianças, das gerações dos anjos
das crianças cristais, que serão transformadas
em zumbis pelas trevas, pelo comunismo, como aconteceu no nazismo.

Tremo, rezo, imploro a Deus a vitoria 
Jair Messias Bolsonaro o homem da lei, da ordem, da paz
representando a terra, as mulheres, filhos e mães,
a esperança da liberdade desafia o nosso peito
olhe por nós ,Senhor, que o povo escolha
o sol da liberdade a brilhar no céu da patria
expurgando a podridão, o comunismo e as feridas...
pt nunca mais ,maldito seja por toda a vida...


 
Mariangela Barreto
Enviado por Mariangela Barreto em 06/10/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários