MARIANGELA BARRETO-
POESIAS E DELIRIOS
CapaCapa TextosTextos E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos


Esta armadilha que ameaça minha paz
é o medo que me enlaça,me puxa, me agarra
entorpece meu sorriso alimenta esta dor,
esta estranha vadia que me persegue todo dia,
 em cada momento 
buscando a mim como alimento
vampiriza meu amor envenena minha ternura
destroi meu paraiso impoe a escuridão
são gritos e lamentos, dor e agonia
tormento das sombras disfarçadas
dentro de mim.

Sim, eu as renego elas me consomem
eu as rejeito elas gritam meu nome
elas querem voltar e eu quero partir.
Aceitação tão dificil, desta alma partida,
dividada,rejeitada, dolorida, machucada,
mal parida,aborto acidental, culpas e cobranças,  
numa arrogancia hedionda e perfeccionista 
egoica e materialista
de um  ser em eterna construção,
que cobra de si a perfeição
sem humildade,sem compaixão,
negando a si o entendimento
de que Deus não faz julgamento
Deus é paz, é amor e só perdão.
Mariangela Barreto
Enviado por Mariangela Barreto em 04/05/2018
Alterado em 05/05/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários