MARIANGELA BARRETO-
POESIAS E DELIRIOS
CapaCapa TextosTextos E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos


Ao olhar o mundo lá fora, tremo
nestes dias de agonia
ouço gritos ensandecidos,
pois tudo vale é carnaval... 
olho com tristeza as multidões nas ruas,
se encharcando da pseudo alegria
alcool, drogas, sexo facil e anarquia
retrato do país falido,corrompido,
mas o povo comemora.... quem diria!.

Minha poesia sangra,
sentindo dores, clamores, estertores
dos desnutridos,humilhados, excluidos,
dos sitiados, sem saude e segurança
sem respeito, sem emprego, sem  solução 
E as hordas dos zumbis, fantasiados
carnes e corpos expostos,maquiados, 
hipnotizados, entorpecidos,
escravizados ,obsidiados,vampirizados
de todas as formas, de todos os lados
"atrás do trio eletrico TAMBÉM vai quem já morreu"..
todos presos, na ilusão, na fantasia.

E na quarta feira ao romper do novo dia
já passada a euforia,
sem energia e sem pão
entre balas perdidas crianças morrendo
vida de gado, vida de cão
será somente mais um dia
deste povo infeliz e alienado
sem esperança, manipulado,
sem consciencia, pobre brasil...
 
Mariangela Barreto
Enviado por Mariangela Barreto em 12/02/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários