MARIANGELA BARRETO-
POESIAS E DELIRIOS
CapaCapa TextosTextos E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos


Será que ninguém escuta o pranto,
ninguém escuta o grito de dor
que dilacera a alma e o ser?
Ninguém percebe no suicida - o sorriso 
e a gargalhada que é puro disfarce?
Um pobre ser desumano desonrado
travestido de coragem
aparentando prazer num orgasmo frígido
de uma vida que se arrasta sem cores
em dasamores discrentes sozinhos
murchando nos umbrais da solidão.

No mundo a confusão é tremenda
inversão de valores,drogas,corrupção
sodoma e gomorra  vencem a guerra,
desonram-se as crianças
e os canibais fazem a festa,
vampiriza-se tudo,
pureza,amor,ingenuidade,
eclode o caos, chamam isto de arte
..pressão total,
.será que ninguém escuta o grito
que dilacera a alma e o ser?
Mariangela Barreto
Enviado por Mariangela Barreto em 21/10/2017
Alterado em 21/10/2017
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários