MARIANGELA BARRETO-
POESIAS E DELIRIOS
CapaCapa TextosTextos E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos


No fio da navalha eu caminho
destilo contrastes,sou imponderável 
sei da impermanencia,sou essencia
​travestida de carne,correndo riscos

Fácil não está equilibrar-se
manter o rumo, o foco, o leme
é penoso perder-se arriscar-se ,
entrar no labirinto,arruinar-se.
 
Quando olho para fora,eu tremo
no mundo há dores, tristeza,veneno
dentro de mim o paraiso me espera
tanta beleza,musica,sol, primavera.

Nada é o que aparenta ser,
sem vigiar a queda é pra valer

autoconhecimento é a solução
pois a chave está na distinção
entre a verdade e a ilusão. 
Mariangela Barreto
Enviado por Mariangela Barreto em 20/10/2015
Alterado em 20/10/2015
Copyright © 2015. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários